O Protesto e os números

Recebi de um cientista político da cidade um texto escrito por um jornalista da capital. Nele, o jornalista enumerava razões para não participar do protesto. Comentei que não achei o texto coerente, pois em síntese, falava que somos uma farsa e justificava isso baseado na sua visão. Falei ao amigo cientista que iria ver o protesto e perguntei se ele iria; para minha surpresa ele falou que não precisava, pois escreve de longe, como analista e pesquisador. Ah, se eu pudesse fazer estatísticas de longe! Se eu pudesse escrever apenas minha opinião sobre protestos de longe antes que eles aconteçam!

Não só em nossa cidade, mas no restante do país, podemos comprovar que os Brasileiros insatisfeitos com o momento que vive o Brasil, aproveitaram um movimento sem vínculo partidário para expressar sua insatisfação, embora alguns tenham tentado levar vantagem política com o ato. Presenciamos crianças, jovens e adultos usarem a atual democracia brasileira para expressar suas opiniões saindo em defesa do país de todos, movimento que já entrou para a história do Brasil.

Em Campina Grande tivemos uma representatividade de todas as classes, apenas 20% das pessoas que votaram em Aécio Neves (PSDB) e 10% dos que votaram em Dilma Rousseff (PT) afirmaram que foram protestar “para tirar o atual governo do poder”, ou seja, o movimento em sua maioria foi por outras motivações, tais como, “melhorar o país” e “insatisfação com a situação atual”.

A nota média de quem votou no PSDB para o atual governo foi de 1,2 enquanto para quem votou no PT foi de 4,4. Outra informação extremamente significativa é que para 36% dos que votaram no PSDB o Governo tem apenas parte da culpa pelo atual momento, e dos 89% que votaram no PT atribuem parte ou culpa total a gestão da presidenta. Para 99% dos que votaram no PSDB, a gestora do Brasil sabia total ou em parte da corrupção na PETROBRAS e 89% dos que votaram nela pensam da mesma forma.

Na visão desses manifestantes a situação do país vai piorar, os preços e o desemprego vão aumentar. Isso nos faz entender melhor a ida ao protesto, pois na sua maioria as pessoas foram motivadas por suas preocupações pessoais e na busca de melhores perspectivas para o futuro da nação.

Foi maravilhoso ver as pessoas irem as ruas e manifestar sua opinião, distorcidas ou não, através da democracia conquistada pela luta de muitos, que para alguns custou a vida. Tivemos dois movimentos, um pró e um contra o governo, ambos em total clima de pacificação e respeito a ordem. Foi uma pena não ter mais um jornalista e um cientista político no protesto, pois provavelmente teríamos duas boas colunas para lermos baseadas na vivência dos fatos.

Eu sou Brasileiro com muito orgulho e muito amor.

Pedro Cézar Pereira Coelho

“Jogo de cena”, diz suplente de senador sobre decreto de Cartaxo

Roosevelt-Vita

 

O ex-secretário de Estado e atual suplente de senador, o advogado Roosevelt Vita (PMDB), contestou, neste final de semana, o decreto baixado pelo prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PT), para orientar seus auxiliares e servidores da sua gestão a cortar “excessos”, diminuir os gastos e se adaptar a nova realidade de crise econômica.

Continue lendo